Dr. Mario (Gameboy)

Na primeira vez que Mario deixou de esmagar tartarugas, antes mesmo de correr de kart e se tornar um poliatleta, o encanador se meteu a prescrever remédios. Dr. Mario, um dos maiores sucessos do Gameboy, marcou a estreia do mascote da Nintendo fora dos jogos de plataforma e em um gênero bastante distinto: o puzzle.

Dr. Mario foi lançado tanto para o portátil quanto para o NES simultaneamente, em julho de 1990. O console doméstico, porém, já estava no fim de sua vida útil, enquanto o Gameboy havia acabado de chegar ao mercado, e por isso o título teve maior êxito na plataforma de bolso, embora tenha ganhado mais versões posteriormente.

O game foi claramente inspirado no clássico Tetris. A tela de jogo mostrava no centro um espaço que era preenchido com as peças que caiam de cima para baixo e ao lado dessa área havia algumas informações como pontuação e o próximo bloco a ser usado. As peças podiam ser giradas e movidas de um lado para o outro para que fossem encaixadas no local certo. Mas as semelhanças param por aí.

Como o próprio nome do jogo diz, Mario é um médico e, em vez de lutar contra goombas e koopas, ele deve combater alguns vírus com cápsulas de vitamina – as peças do jogo. O objetivo em Dr. Mario não é preencher uma linha horizontal para eliminá-la, e sim empilhar três peças da mesma cor sobre os vírus, que ocupam lugares fixos na tela (em destaque na imagem). As pílulas têm todas o mesmo formato e ocupam dois espaços, mas cada uma das partes pode ter uma das três cores do jogo. No caso do Gameboy, essas cores são branco, preto e cinza, devido ao ecrã em sem cores do portátil.

Uma vez que todos os vírus fossem eliminados, um novo nível era iniciado. O número de micróbios a serem destruídos em cada nova fase aumentava, e a quantidade deles nas etapas mais avançadas passava a ser muito grande, exigindo habilidade dos jogadores. E assim como em Tetris, o jogo acabava quando a tela estivesse “transbordando” e não houvesse mais espaço para colocar novas peças em jogo.

Além de ser o primeiro título a colocar Mario fora da sua rotina de salvar princesas, Dr. Mario foi também um dsos pioneiros em adaptar a jogabilidade de Tetris. Além das versões originais do Gameboy e do NES, o Nintendo 64 ganhou uma exclusiva, assim como o Nintendo 64 e o Nintendo DS. Para arcade e WiiWare, há versões para dois jogadores simultâneos disputarem quem elimina os vírus mais rapidamente. No Super NES, o game foi lançado em um cartucho separado e outro junto com Tetris, mesma situação do Gameboy Advance, que recebeu o jogo junto de Puzzle League. Sozinho, no portátil ou em casa, o texto da caixa do original avisa: Dr. Mario contagia. Com diversão.

Ficha técnica: Dr. Mario
Plataforma: Gameboy
Produtora: Nintendo
Gênero: Puzzle
Ano: 1990

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: